segunda-feira, 6 de junho de 2011

Contar ou não contar?

A parte mais difícil de ter HPV é não saber de quem você pegou. Não que a questão seja importante, na maioria dos casos a pessoa nem sabe que é portadora do vírus. Mas dá aquela sensação estranha, fico pensando que podia ter me protegido mais, escolhido mais. Não tive muitos parceiros, mas concordo que alguns não valiam a pena arriscar.

Como o vírus pode ficar incubado por até 20 anos, fica mais difícil ainda saber o momento que o HPV foi contraído. Eu namoro há menos de 1 ano e a primeira reação foi culpar oo atual namorado. Mas mesmo que fosse ele, não é questão de términos e brigas e muito menos indício de traições. O importante é compartilhar, explicar o que é, explicar que a pessoa pode ter o vírus também e que é importante se tratar.

Meu médico disse que emu tratamento não adiantaria de nada se meu namorado tivesse o vírus e não fizesse tratamento. Então por bem ou por mal ele ia ter que saber. Até porque não é muito normal você não querer mais transar do nada ou aparecer aquele vontade repentina de usar camisinha com alguém que você nunca usou. Uma hora ele mesmo ia começar a questionar.

 O meu medo era se ele iria entender, aceitar e ter paciência para esperar todo o tratamento. As verrugas que aparecem são muito feias e de forma alguma iria querer que alguém visse aquilo. Mas não fiquei muito tempo no conto ou não conto. Se ele gostasse de mim de verdade iria me apoiar e iria procurar um médico, independente de quem passou pra quem. Se não aceitasse, pois bem, a vida continua e ninguém nunca morreu de amor.

Contei no dia que saíram os resultados do exame. Expliquei o que era, como pegava, os sintomas, para que podia evoluir e como era o tratamento. Expliquei que ele podia ter me passado ou eu passado para ele. E que isso era o menos importante.

A reação dele foi melhor do que eu imagina. Entendeu, me apoiou e mais do que depressa marcou com o urologista para saber se tinha o vírus. Ainda não fez o exame, mas não estou muito ansiosa.

O apoio de pessoas que amamos nessa hora é fundamental. Não vivam com isso sozinhas! Seja o parceiro, seja a mãe, o pai, os melhores amigos. É sempre bom ouvir de alguém que tudo vai dar certo e que vamos ficar bem. O preconceito existe, claro. Muitas pessoas desinformadas confundem HPV com promíscuidade. Mas é por isso que não devemos nos esconder. A divulgação e informação faz com que as pessoas queiram se cuidar.

10 comentários:

  1. Joana! Muito bacana teu blog, pena que deixou de atualizar. Como você está? Como foi o tratamento do HPV? Sou jornalista e estou procurando histórias bacanas para sensibilizar as pessoas a se prevenirem. Você toparia? Se sim, me manda um e-mail com teus contatos. Obrigada. beijos

    ResponderExcluir
  2. Tenho 15 anos é apareceu algumas verrugas pequenas no meu pênis, como faço para contar isso para meus pais, ainda apareceu algumas na minha boca por eu ter praticado sexo oral com minha parceira. Como faço para contar meus pais???? ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos temos que assumir os nossos atos, se for difícil explicar para seus pais é por que eles não te deram liberdade de conversa.
      Procure um urologista e veja qual o melhor tratamento.
      Não deixe passar muito tempo, pois, pode piorar.

      Excluir
  3. Olá. Namoro já faz um ano e descobri essa semana que tenho hpv. Não faço idéia de como contar ao meu namorado. Nuncá tive sintomas da doença e isso é muito conflituoso pra mim. Como falar pra ele?

    ResponderExcluir
  4. Faço o correto, converse com ele.
    Ele tem que entender, Só não consegue entender se não ama.

    ResponderExcluir
  5. Eu estou passando por isso...eu suspeito de ter hpv, já fiz os preventivos e e não deu nada, estou indo em outra medica para ter um outro diagnostico...eu sei que tenho algo na minha vagina que não é normal...só vou esperar mais esse outro resultado para conversar com meu namorado. A gente tem que fazer o que nós queríamos que fizessem com a gentw, eu sei que é difícil mas é também é o melhor a ser feito.
    Força pra nós!

    ResponderExcluir
  6. Passou bem com uma situação difícil. Contar que tem HPV não é fácil mas é uma questão de saúde, cuidado e respeito com o(a) parceiro(a). Estamos sempre atualizando nosso site sobre HPV pra dar informações simples porém necessárias a respeito dessa doença.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Eu descobri uma verruga no meu pênis e tô desesperado porque comecei a engatar um namoro e descobri um dia depois que tive relação sexual com ela, estou muito preocupado com ela e não faço a minima noção do que fazer. Sempre usei camisinha, e não nunca tive relação sexual promíscua. Fui em dois urologistas, e os dois me deram opiniões distintas. Estou com medo do nojo que as pessoas vão sentir de mim se eu contar. Eu tô numa etapa de minha vida que tava cheio de planos e tumultuado com curso técnico e universidade e agora tô destruido ... a primeira vez na minha vida que não tenho a menor ideia do que fazer. Nunca tive a capacidade de confiar em ninguém e agora descobri que realmente to sozinho. A única pessoa que posso desconfiar é que minha ex tenha me passado, e sinceramente tô com um ódio terrivel dela, e ao mesmo tempo quero perdoar ela. Não contei a minha mãe ainda, e acho que ela tá me achando estranho. Faz cerca de 4 dias que choro no travesseiro em silêncio e já penso que o suicídio é uma alternativa. As vezes da vontade de gritar, e as vezes eu fico paralisado. Comprei um ácido que me foi receitado mas nem sei se vou usar. Nunca tive medo de uma coisa, mas o que me assombra não é morrer, morto não sente nada, mas o estado psicológico constante de se sentir sujo e indesejado.

    ResponderExcluir